Marketing

>V '7. íkãzx» '7. ','- "'" '" X * '(K'-^:"^-''iS'^"-^9^msS&ÊBÍ^SÊ^^9^mmm. .- -'.'.' 'k-^y y,.,;.y\.'y>sp^^^^ V" «* TV, ^^mmmm.

Description
.;... ^^, :. :; Í! :., ;7 .: * * *v globoí B B lli) Kffllilf li rtlr.l P7 ANO X N<? 585 ] wíí** ^jp.^,..,,^,,.,,.., %i> vçí «>.1- Wsãyy :<A{t \ *, íkãzx» 7.,- >V 7 QUE SiWUCA/TODOS ELES QUEREM O
Categories
Published
of 16
4
Categories
Published
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Share
Transcript
.;... ^^, :. :; Í! :., ;7 .: * * *v globoí B B lli) Kffllilf li rtlr.l P7 ANO X N ? 585 ] wíí** ^jp.^,..,,^,,.,,.., %i vçí « .1- Wsãyy : A{t \ *, íkãzx» 7.,- V 7 QUE SiWUCA/TODOS ELES QUEREM O _,, t CAMPEONATO DE Íf» Kí* *- ; - i -\i.âmèwè - - W& k-^y y,.,;.y\.y sp^^^^ X * (K-^: ^-iS^ -^9^sS&ÊBÍ^SÊ^^9^. 3 - i:7..( . 7,7 ..:- * 7y5psH,,-*^ -,;-.. v fetf r^l ^^^^^^TBB B^N WrL^ B _ 9 _fl 1 ^a* ^^ F^ fwrfí^bt.7-^ iia . -^_N_nMB_M_^_É^(?li R, 1W 7.7*fMH _^M 5*_CT_ PB^-^P B\h 1 jh K^âWÊ!& B JÊÊzSjí B w _B jf^-^^ ^^i -w fjbj ;çl v^ fü $ _fl -9 _H -. * -1 V «* TV, ^^ iêèr,x,., ^y-ta; 7 ;7.;K 77.(7; (t\ff ;* _, í t *« , f *-T PwK 2*-fc * i tjfsíg^ v_?*v* V -. * i-4 - ^^Bigif r. ,/ ! &-.» - 7-V, *% W -./a..:, yyyyy^.ysa. : : _-,. ««ai itfp^.ía#* Érj _-.!** 1... BH BM Cfsasaaü» *- . * * ;» ,..r , h,r Pagino 2 Sexta-feira, 9 de dezebro de 1949 j»? ; O GlOBO SPORT/VO Aa Vantagens Espetaculares No Certae à x?: ;.; f. b ., JWP&kV S. PAULO, dezebro (De P. Frank, especial para O GLOBO SPORTVO) Dols prelios centralizara o diinuto interesse dos apreciadores do football na 13.a rodada do returno: o encontro Santos x piranga, que deonstrava equilíbrio patente pelais atuais condições dos litigantes, c» peleja entre a Portu guesa dc Desportos e o Paleiras, este representado por sua equipe secundaria, ua vez que o conjunto titular se encontra e terras do Velho Mundo A diferença patente de classe entr lusos e a equipe iprovisada dos palnieirenses reuniu as aiores atrações, principalente pelo fato dc ter»ido, durante. seana que precedeu o encontro, relebrando ariiificos feitos do conjunto secundário alvi-verde, há tepos atrás, quando chegou eso a derrotar a equipe titular da Portuguesa dc Desportos, e prélio do capeonato travado e 1930 Mas a historia, desta vez, não se repetiu c os lusos ganhara se dlficuldades, não chegando eso a se epenhar a fundo para colher u resultado favorável Jogara á vontade, criando si tuaçõea difíceis para a eta contraria e desfrutara o tiro fina quando a ocasião lhes parecia de todo favorável, se nuncr* chegar a forçar deasiadaente. Os lusos obtivera u triunfe liquido c incontestável, pois d( lado dos palcircnses vlu-s RESUMO : . TURNO l_. RODADA piranga, fi x Santos, a LooxJ; riir.kiolni Tento*, tie.linha (3), Osvaldo Ci), lilbc r Nieaeio (2). ((ii.iili irikanca Osvaldo l; Glapooli c Hoero; Rcllro, RrltMÜdo e H-uia; BUCHO * Kllbrus,.llnha, libe r Or.vitldo. SAN ros - Cblquinho- llil.íu e Dinho; Nt-iu-, Pascoal.- Alfredo; Alinuio/iiii. \ o niiin ho. Nic.-ii in Niiiitlo r *lnheg«% Jtit-/: Marti Storr.v. {en l;«. CrJ :.. iik.oo. Preliinar] Santos, i x ça, i piran PORTUGUESA DL DESPOR ros. 4 x PALMERAS. 1 Lo cal;.ii ii11«anlarlh.t Tentou de Renato (2). Zé Carlos, Nininho e Dino Quadrosi PORTUGUESA 1)1. DESPOR- TOS - llollvar; La», e Nino; Sanlicito; to*, Hiuodãoxiiihii r ijc Carlos, Krnutu, Nininho, riiij;.t e Suua-i PALMERAS - Dott; tarira r SalMtilor; falante,!. !_ o r Treinenilie; Lul-i Y/Mnon, Washington, Dino r Renato Jtii_: Willrid Lee, Renda: Cr$ 54 HCl.lliO Preliinar Aspirantes; Poi - togue.-n i\v Desporto*, 5 x Palo) r*. 0 JA1A_))A_A. 6 x NACONAL, 2 l,oc»l: l.rico Mursa 1rti tos tlc Leo_»ohlo (2). Augosl.i,»!. íiri.i. Ventura, Maritlo e Jorglnho. Quadros; JAtAQUARA Mauro; Oolngos e Maioral; Nelson, Clriá e 1VJo; Aaral. Augusto. V, rotula,.t-o i« hlo c VeiRiiinha. NACONAL lábio; Dedio «- Antltlc; Daasceno. Kicelli» Cailos; Plachlo, Neen. Jorgtnlto. liotlt e Z*( tilii». Jul*: GÕdírey Sundértand Kenda: (r$ rteliinin.ir Aspirante», tio Nacltinal, 3 x Aspirantes do Jabaqu*- n_. 2.? JUVÈNTUS. 1 x PORTUGUESA SANTSTA. 1 Local Kua Javari. Tentos de Osvaldlnho r Zinho Quadros: JUVÈNTUS Tufi (Osvaldinho); SapOUnho e Nenê- Lorena, Osvaldo e Pascoal; Turquinho, Carbone, Milanl. Osvaldlnho e Lui? PORTUGUESA Anda; Ouilhere e Pavão; Orlando. Knwj e Antero; Bota, Zuüio, raiva. M«a- :ir _ Lula. Jair,: Harry Rowley. Renda:?r$ 7.083,00. apenas uito entusiaso, iud. vidualente, se qualquer vk tigio de jogo de conjunto capa de ipedir a desrnvolta atun ção de u adversário ais co ordenado e dono de elho classe Construída a vitoria nr fase inicial não se preortiparan os lusos e aplia a, eonten tando-se cni resistir _ anular esporádicas nvestidas tentadas de qualquer aneira pelos alviverdes, não ais procurando atingir as redes contrarias, tliiando poderia fazê-lo. GOLEADO O SANTOS Sc o resultado do encontro entre lusos c Pahneirensrs foi unia decepção para o, qne acreditava nua brilhante façanha dos reservas alvi-verdes, a peleja travada no Pai caebú entre Santos e piran-, ga, cotada anteriorente coo unia luta onde o equilíbrio era patente, surpreendeu a ioitos. Encontrando u piranga in- Suflado de suas elhores aras, a fibra e a velocidade, o Santos foi presa fácil, deixai» do-se abater por elevado SCOre Sc be tenha resistido e- hor na fase inicial, entregouse totalente ao elhor de-.epenho dos piranguigtas na fase final, náo logrando ais conter o ípeto de que se achava possuídos os rapa_.es l do rlube da Colina Histórica Vitoria brilhante do piranga e derrota aarga, duplaente aarga para o Santos, que ale de ser goleado perdoa rtefinílivaente. e favor dos lu- sos nanlistanos. a terceira colocação na tabela do capeo- : nato EMPATE NA RUA JATAR! Juvèntus e Portuguesa santista preliara na rua Javari, apre entando coo caracteristica única entusiaso e ovientação Colocados e posição secundaria na tabela, o resoltado teria pouca influencia, as eso assi abas as equipes epregara co de- ^^ ^^ fltwmiç ^^- S_Pí^W *vj nmêt9^b (^ V_H_V! ^_^^ V _f* - HKP_É-B K BP ife 8l-r BW f P^_jr^fJH fe_y 9 ^._Eé._b_$%vzfâ^$$ flb_h_b_tfimtplp^_^^ P^B P. PPB_rS 9 H Vb í a - Ea»» _»_^^ _»^^ -r^ i _l_pi_hci- ^_a C_^i 3 ü^ «v*1 ^»***% -,».. _QjMcWfj *J *?! Kl.B-E^^X! ** ^iwhfl r i_i_r i ii _. f** w^ - J J%J^ -C- ^fivr^ ^ r*^yn l_^_i3-! ^ ly? Ti init_nl _B_a,-aM l-abj-i-bil MurMMh!^y^rS^^lSfílM\^.JÂ- T n*_-_i ^ ^KbwM_^ - _ * -_«^r^t ^^Íçwh. MB iy.,1 ^*^^ ijr» S vf*. í*i ^_l^ h * j *tf*^^tl?t*íísr tt « \J O quarto Roal da Portuguesa de Desportos contra Paleiras, de autoria de Nininho. Doly atiroa-sc se sucesso dicaçao, preiando os poucos assistentes eo ua partida nteressante, onde não faltou lances eocionantes e farta inrvientacâo No final, o arcador acusava o epate de u tento, resultado justo, perfeitaente de acordo co o drse penho das duas equipes e que. para o Juvèntus teve o sabor de ua vitoria, pois atuou durante todo o período final se 0 concurso de seu arqueiro. achucado e u choque ea- Mial ro u avante santista Co algua probabilidade de escapar lanterna , à o Nadonal enfrentou onte o labaquara. c capo -autista, à procura de ua vitoria que afastaria ais para longe, talvr-s definitivaente o fantasa do últio lugar Muito.i ra tenha jogado u prieiro tepo de igual para igual ole atê eso u arcadot esteve _ão sensivelente na fase Una», sendo sobrepujado por larpa arge de pontos pelo scu aguerrido adversário. Afora o equilibrado, decaiu de produ- elhor aproveitaento da queda de produção do Nacional, nada de ais apresentou o Jabaquara na peleja que lhe valeu ua vitoria etpetacular pelo nuero de lentos arcados. Quadros co idênticas pojsibi- idades, não poderia oferecer, no panoraa técnico, ais do que fizera; jogo pobre, se oção, salvaiulo-se apenas pe- as oito vezes que o placard foi ovientado, o qne sepre agrada aos torcedores. CAMPEONATO PAULSTA EM NÚMEROS CLABS-FfcCAÇAO l.r Sa*. laulo 7 p. p. Paleiras 14 2.* Portuguesa de Desportos 17.. Santos e piranga Corintians 1» ií. Portuguesa santista 20 7. XV de Novebro 22 R- Juvèntus e Jabaquara 27 9.» Nacional Coercial 33. AR.M-TÍOS. Friaça Í2 tentos Z.* Baltazar c Odair 17 3. Pinga e Renato 16 4. Nlninh- e Augusto 14 5.» De Maria 12 6. Leônidas 11 . Rovl.-. Narenha ( orl e la- Uu» 18 X. Moaclr. Teixeirinha. Liinha e Mart...-li.i 9 9. Blbe. Leopoldo /i e Osvaldo X 10.* Ronatínho, Aaral. Ponee de ^e«n 7 ARQOEROS MAS VAZADOS l. Kabi« S2 veies 2. Ari 41 _. Osvaldr 3_ 4.» Anda 32 5. Vaia no Z» 6. Jaie, f.lj- e Bino 27 7.* Cavani e Maaro 24 R Mario 20 RKNDAS Até à 12.» rodada &..00 Na 13.* rodada Total até o oento Ofl CERTAME DE ASPRANTES 1.* Corintians 6 p p 2.» Paleiras 14 3.» São Paulo 1G 4. PorluRuesa s_.ntis:ta e Santos 17 5. Juvèntus S fi.» Portuguesa de Devport,ss 19 7. Jabaijuara 25 K.» l iir_ns.i, Coercial e Naeiinal XV de Novebro 31. A PRÓXMA RODADA (ÜlÜnia do certae) São Paulo x Corintians Santos x Juventus Nacional a Paleiras XV de Novebro \ piranga Português, santista _ Coerciai o r,i nbo SPORTJV^ Diretores: Roberto Marinho c Mário Rodrigues Filho. Diretor Superintendente: Henrique Tavares. Gerente: Rubens avulso] de Oliveira. Secretario: Ricardo Serran. R e d a- prfqbo ção, adinistração e oficinas: Rua Bethencourt da Silva, 21, 1. andar. Rio de Janeiro. Preço do núero avulso para todo a Brasil: CrS 0,80. Assinaturas: anual. Cr$ 40,00; seestral, Cr$ n-trrr, 7r -rj_jglí . - O GLOBO SPORTVO MARO FLHO HSTORA DE BGUÀ (2)[) ~-\.,. -,».- y r-v:..?. ..- Cr. ry-..z Sexta-feira, 9 de dezebro de 1949» _ rt _í DA PRMERA FLA fjolui J. SulLuatt Ô Odeio. 2 o Povo i 7 ^ Aquele» repentes dc Biguá fora passando f o oontacto eo a civilização, ebora a Gâvea fosse u pouco afastada do Nice. Biguá vinha raraente à cidade, preferia ficar lá e cla. Não se pode ser, poré, ipuneente, u Bguá na vida. U belo dia Pirilo atendeu o telefone, não era para êle, era para Biguá, e voz de Estão oça. chaando você, Biguá . Pela cara de Pirilo, Biguá percebeu logo que havia coisa. Pirilo sorria, piscava e olho, epurrava Biguá para o te* Não lefone. podia deorar, Biguá. Elas já estão gostando de você . Elas? Biguá já estava co a ão estendida para segurar o fone, deu u passo aras. Você está co edo, Biguá? . Biguá não estava co edo, apenas queria que Pirilo descobrisse que estava falando do outro extreo do fio. Nãg adianta saber o noe, Biguá . Biguá náo an* dava atrás do noe, andava atrás de outra coisa. Pergunte, Pirilo, se ela 6 ulher ou senhorlta . quando Biguá atendeu o telefone Juntou 2E gente para ouvi-lo. Pirilo foi chaar Jurandir, Vevé, Peracio, Jaie, todo undo que estava aquela hora na Gávea. Biguá so dizia si, não, está be, si, não, está be. Esse negócio de não ver a outra pessoa, de só ouvir a voz, não era co éle. E se a outra pessoa náo fosse a outra pessoa, fosse outra pessoa? Assi, Biguá não se co* proetia, falava, uito sério, si, nfio, está be. E volta dele os.outros jogadores prendia o riso coo se prende cachorro que gosta dé order as visitas, e correntes de ferro. Foi só Biguá acabar para as gargalhadas explodire. E Biguá não disserá nada de engraçado. Fora até sério de ais, de ua discrição que faria inveja a u ebaixador. Co o si, co o não, co o está be, êle satisfizera a curiosidade da torcedora anônia. Caçoar de i ela não caçoa . E náo caçoara eso. 3 Os outros Jogadores não ria, tabé, por troça. Ria por outro otivo. Biguá é o caçula do tie, cada jogador do Flaengo se considera, u pouco, o irão ais velho de B* guá. Todos gosta dele. E não só os jogadores. José Lins do Rego, por exeplo, andou para cia e para baixo por causa de Biguá. O caso foi que o doutor Nilton Pais Barreto, édico do Flaengo, ficou desconfiado, de que Biguá tinha u sopro no cor?- ção. Vocês todos se lebra que Biguá andou uns atches afastado do tie do Flaengo. Hoje ui. ta gente, lá na Gávea, está convencida de que o Flaengo perdeu do Aérica por causa disso. Flávio, poré, tinha de obedecer à orde do Departaento Médico: nada de botar Biguá no tie. Flávlo, ebora não acreditasse uito na história do sopro no coração, preferiu ficar co a consciência tranquila. Avalie se Biguá orresse e eio de u jogo? A culpa seria dele, Flavio, ne era bo pensar _l E dava pena ver Biguá de cabeça baixa, atlrado para u canto lá na Gávea. Yustrich andava pela Volta Redonda. E eso st Yustrich estivesse ainda no Flaengo, que adiantaria? Coo Flavio, Yustrich ficaria co edo de atar Biguá.«atar u hoe por dois il réis bastaria para levantar u júri. Biguá não podia ais ganhar dois il réis por dia chutando bola. Ne lhe restava o recurso de voltar para o Paraná. Carregar lenha era pior que chutar bola. Biguá, cora enos de vinte anos, teve pensaentos de velho centenário, co u pé na beira do túulo. Peracio 0 deixou de rir, deu para andar nas pontas dos pés no doritório, coo se faz e quarto de doente grave. E Biguá parecia ne escutar os pslus, os sussurros. Não escutava e não via nada. José Lins do Rego soube de tudo, foi buscar Biguá u dia na Gávea para levá-lo ao doutor Genival. durante a viage de ônibus, José Llr.s do 5E Rego tratou de levantar o ânio de Biguá. Eu aposto, Biguá, coo você náo te nada . Biguá achava que.tinha. O doutor Zé Lins disse: o édico botará o ouvido be e cia do coração Eu dele, Biguá. e ficara escutando o bate-bate. hão entendo ulto dessas coisas, dotstór Zé Lins, as se édico escutou o sopro é porque havia o sopro, o sopro estava lá dentro . Qual sopro qual nada, Biguá. Se você tivesse sopro não estaria conversando aqui coigo, estava era debaixo da terra, há ulto tepo . Biguá encolheu-se no banco. A enção a debaixo da terra não lhe soara be. O que lhe dava ua vaga esperança era o fato de José Lins do Rego ser tabé doutor, u hoe instruido, que sabia ulto ais do que ôle. Se o doutor Zé Lins diria ua coisa era porque tinha base para dizer. Por quê o doutor ZÉ Lins do Rego não e escuta o coração? . Biguá trouxe o peito para a 6 doutor de outra, coisa. Biguá, então, perdeu u pouco do entusiaso que ainda lhe res- Quer dizer que é só u palpite que o se- tava. frente. José Lins do Rego teve que explicar que era nhor te? Biguá tirou o trataento de doutor, passou a chaar Zé Lins apenab de senhor. Não era palpite. Era ua convicção intia e profunda. Se Biguá tivesse u sopro estaria há ulto tepo debaixo da terra José Lins do Rego repetiu se querer. É que êle via Biguá saltando, ficando lá e cia para eter a cabeça na bola, e depois via Bguá caindo. Ora, Biguá saltava, co u pouco de exagero, da altura de u segundo andar, José Lins do Rego tratava de calcular a altura, tratava de calcular o choque de u corpo que bate no cháo vindo de u sobrado. Ora, foi a conclusão de José Lins do Rego, toda vez que saltava para cabecear a bola Biguá devia orrer fulinado, e ainda estava vivo. Logo... o José Lins do Rego estava co a razso. Depois, co os exaes que o doutor Genival 7 andou fazer, Biguá recebeu licença para jogar se susto. Antes, poré, José Lins do Rego explicou ao doutor Genival coo era Biguá. Se você visse o Biguá jogando, não duvidaria u só instante . Co o poder de descrição de u roancista, José Lins do Rego coloriu ua cena de Biguá saltando. Você está cansado de ver o esguicho da praça Paris, não está? . O doutor Genival vira o esguicho da praça Paris e u dia cívico, Sete de Setebro ou Quinze de Novebro. O grande, o aior de todos? . O grande, o aior de todos. Pois o Biguá saltava assi, ais alto que este teto , José Lins do Rego apontou para cia, o doutor Genival acopanhou o dedo de José Lins do Rego. E cai lá de cia? perguntou o doutor Genival. E cai lá de cia e sobe de novo, feito ua bola de borracha . Zé Lins o doutor Genival levantouse se é coo você conta, o Biguá pode jogar futebol . Biguá, que sabia que era, sorriu, encantado. VDA DE VUVO NA FAZENDA. COM UM VELHO SPARNG E UM ORFAO. A VTORA DAS DOENÇA K UMA COVA ABERTA A DNAMTE O FM DE JOHN li, SULLVAN John e Kttte coprara ua pequena fazenda, e Wçst Ablngton, Massachussott. Fora apenas idéia de Wate, as John entusiasou-se tabé, ao ver a propriedade. E se ulto não fez na fazenda, pelo enos ulto falou acerca de seu grandiosos planos. Kate respondera conferencista quando o funcionário do cartório, preenchendo o seu forulário para a licença de casaento, perguntara a profissão de seu futuro arido. sto causou tabé adiração do público, as tornou-se na pura verdade John passou a fazer conferências sobre teperança. Mas agia ndependenteente. Não se subordinava à Antl-Saloon League ou co qualquer outra organização antlalcoólica. Declarou categoricaente nua carta ao The Outlook que não era a favor dé nenhua lei seca nacional ou estadual, ua vez que, baseando no exeplo do Malne (onde tinha algua experiência) estava certo de que seria inoperantes. Nâo acreditava e edidas drástlcas para extinguir o vicio do álcool. A persuassão oratória era o seu A propósito- elhor aneira de não se beber é fucjlr da bebida, por vontade própria . E: Há hoens /ue bebe e dize que deixarão de beoer no dia que assi quisere, as esse dia nunca chega . E seu arguento final era o de u pugilista consclo de sua excepcional força: Eu não consegui vencer a bebida, há de ser vocô que vai vencer? John passou a ser figura popular nos espetáculos pugilístlcos. e e quando Wlllard defrontou Moran no Madison Square Garden. subiu ao ring para ser apresentado ao público, que não lhe poupou aplausos. E no transcorrer da luta, coentou co Joe Hupreys: Joe, se eu pudesse rafezr o. relógio recuar 20 anos, de. tarla esses dois parvoj se dificuldade, nua só noite . E uitos concordava co ele. porque o país não vira nenhu bo pugilista nos últios anos. Foi esta a últia vez que John L.. Sullivan subiu a u rliur. Kate orreu e 1917, de câncer. U golpe cruel. F, John, achando a solidão na fazenda intolerável, chaou para sua copanhia u velho sparring dos bons tepos, George Bush. E adotou, ebora não o fizesse legalente u enino órfão, George Kelly. Assi, dois lutadores aposentados e u garoto vivia na fazenda de Àbinetòn, enquanto o undo guerreava. A renda do ex-capeão era diinuta. Hoe de carater, nunca falava a esse respeito, era sensivel a qualquer coentário, as alguns aigos de tudo sabia. Era preciso certo cuidado para ajudar a John L., ou eso dar-lhe uni siples presente. U aigo querida presenteá-lo co u peru, no Dia de Dar Graças a Deus, as receou que ele toasse o seu ato coo de caridade, e preferiu entir-lhe ua historia e que ganhará dois perus de presente e os ostrou e não sabendo o que fazer co u, que era deais, lebrou-se de dá-lo ao velho John. Ei John cóncordava e desebaraçar a situação do aigo, aceitando ussi . O coração do ex-capeão não era dos elhores nesses dias. E sofria tabé de cirrose. A esuorla coeçava a fraquejar, e John costuava contar ua esa historia ultas vezes, se aditir interrupção. Passou a usar óculos. E velo a gota, e ais ua dolorosa irritação nor sentir que a ficando surdo. Nua anhã de fevereiro de 1918 ele desaiou. Seu copanheiro assustou-se, as conseguiu faze-lo voltar a si esfregando gelo na testa. Quantas vezes fizera isso nas vitias de John, no ring! Gelo e sais de cheiro! George levouo para a caa. Não tenho nada repetia John, já Dentro passou . e pouco estarei de pé . E então, u olhar fixo. Teria conteplado a orte? Não! Já estava bo, afirava para si. Pediu então ao aigo u banho. Si, u banho lhe faria be. George andou o garoto Kelly e busca de u ódico e foi preparar o banho, as John L Sullivan orria antes que o édico chegasse, antes que a agisa para o banho esquentasse. U dia de frio intenso, quando levara u corpo de John L. para a issa fúnebre, na S. Paul, e depois para o Calvary Ceetery. A inhuação foi feita ao lado de usn pequeno outeiro e tão gelada estava a terra que foi preciso o uso da dinaite para desepedir a cova. Si. dinaite, coo os seus socos. John gostaria de ter visto isso ururou Joe Kilrain -s! f -; M ;! T,1, # ; :..*. v yy-ryy^yy yfy y: WW*HWr«a^r ,. w^-^ ~~2~ i Página 4 Sexta-feira, 9 de dezebro de 1949 O GLOBO SPORTVO f f O JUZ Ê JULGADO MR. DUNDAS-Flaengo (1} x FluinenseC13 Mr. Dundas, coo era fácil ver, procurou ser jus a sua sorte (se é essa a expressão que se po de usar que faz o seu noe cair para o atch principal ( coinplicn-.se e co ou se pretexto passa a ser o?ta. (O GLOBO) Muito obrigado por e ter descoberto, s-cui quero continuar desaparecido por ais tepo! ESPORTES EM TOE 0 MUNDO EM BRUXELAS O selecionado lieiga de basketball derrotou o selecionado francês, ern niatcti realizado nesta capilai, pelo escore de 53/44. Por sua vez, a equipe feinina d
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks
SAVE OUR EARTH

We need your sign to support Project to invent "SMART AND CONTROLLABLE REFLECTIVE BALLOONS" to cover the Sun and Save Our Earth.

More details...

Sign Now!

We are very appreciated for your Prompt Action!

x