nforticanaeducão conformaroutransformaraescola
JoséArmandoValente
 
ntrodução
Osmeiosdeprodãoedeservoesopassando
por
profundasmudanças,caracterizadas
por
umasupervalorizaçãodoconhecimento.Certamente,estamosadentrando
na
sociedadedoconhecimentoemqueoconhecimentoe,portanto,osprocessosdeaquisiçãodoconhecimentoassumirãopapeldedestaque,deprimeiroplano Drucker,1993;Naisbitt
 
Aburdene,1990;Tower,1990 .Essamudançaimplica
em
umaalteraçãodeposturadosprofissionaisemgeral
 
portanto,requerorepensardosprocessoseducacionais.Aeducaçãoopodemaisserbaseada
na
instrução
que
o
professorpassa
aoaluno,
mas
na
construção
doconhecimentopeloalunoenodesenvolvimentodecompetênciascomoaprendera
buscar
ainformão,compreen-laesaberutilizá-la
na
resoluçãodeproblemas.Atentativademodernizarourepensaraeducaçãotemsidofeitaatravésdaintroduçãodocomputador
na
escola.
 o
entanto,autilizaçãodocomputadornaeducãonãosignifica,necessariamente,orepensardaeducão.Ocomputadorusadocomomeiodepassarainformãoaoalunomantémaabordagempedagicavigente,informatizandooprocessoinstrucionale,portanto,conformandoaescolacomatradiçãoinstrucionístaqueela
já
tem.
 or
outrolado,ocomputadorapresentarecursosimportantes
para
auxiliaroprocessodetransformaçãodaescola-acriaçãodeambientesdeaprendizagemqueenfatizamaconstrãodoconhecimentoeoainstrução.Omodelotradicionaldeeducãoescentrado
na
transmissãodeinformãodoprofessor
para
oalunoe
na
fixaçãodessainformãoatrasdeumsemmerodeatividadesqueosalunosdevemcumprir.Entretanto,ofatodeainformãotersidotransmitidaedeaatividade
Professor
do
cleodeInformáticaEducativadaUniversidadedeCampinas
PERSPECTIVA Florianópolis UFSC/CED
NUP
n
24
p
41
-49
 
 
osé rmandoValente
ter
sido
realizada
com
sucessonãosignifica
que
o
ahmo
compreendeu
o
queelerecebeuouoqueelerealizou.ComoafinnaPiaget
 1978 ,
acriançapoderealizarumaatividade
com
sucessoenãonecessariamentecompreenderoqueelafez.Autilizãodainformáticanaeducãotambémtemseguidoessa
mesma
abordagem,confonnandoosprocessostxlucacionaiscomoque
é
usado
em
sala
de
aula.
Alémdos
recursosdisponíveis
o
almo
pode
usar
o
computador
para
realizarwnarie
de
atividades
com
sucesso.
Entretanto,
dependwdo
 
tipo
de
software
usado
e
do
tipode
wvolvimwto
do
professor
na
interação
alooo-computador,
o
alooo
pode
ouo
comprem
deroqueelerealizou.Poroutrolado,existematividadesquepodemserrealizadascomocomputador,quefoamoalunoabuscarinfonnões,processá-laseutilizá-las
na
resoluçãodeproblemas,permitindoacompreensãodoquefazeaconstrão
do
seupróprioconhecimento.
 
f zer ocompreender
Adistinçãoentreofazer
 savoirjaire
eocompreenderéapresentada
por
Piagetemseulivro
Fazer
e
 ompreender
 1978 .Nesselivroelemostraatrasdediversasatividadesqueacriaaécapazderealizarõescomplexase
ter
umêxitoprecoce.Entretanto,issoosignificaqueacriaatemacompreensãoconceitualizadadaquiloquerealizou.
 la
podesaberfazer,masocompreenderosconceitosenvolvidos
na
atividadequerealizou.Piagetobservouqueapassagemdosaberfazerparaocompreenderse
graças
à
tomadadeconsciência,queconsiste
na
transformaçãodoesquemadasações quepermitemofazer emnõeseoperações queconstituemaconceitualizão .Essapassagemse
emtrêsesgios:noprimeiroesgioacriaanegligenciatodososconceitosenvolvidos
na
atividade,nosegundoelacoordenaalgunsconceitosenoterceiro,acriançacoordenatodososconceitosenvolvidos
na
ativida
de.
Porexemplo,
na
atividadedeenfileirardomisdemodoquequandooprimeirocai,derrubatodososoutros,acriançapodeconseguirrealizaressaatividadecomsucesso,pomacriaanoprimeiroesgiooentendequeadisnciaentreosdominóséfundamental;nosegundoesgioentendequeadisnciaéimportante,porémoalinhamentodevesersempreemlinhareta;efinalmente,noterceiroesgiocoordenaos
 
 nformática
 
educação confonnaroutransformara
 
 
elementosdistânciaealinhamentoeécapazdeenfileirarosdomisdemodoqueelespossamfazerumcaminhocurvo.Alémdisso,Piagetobservouqueoéoobjetoqueinduzaoesgiodacompreensão.Ofatodeacriaa
ter
entendidooftmcionamento
 o
dominãosignificaqueelanecessariamenteentendacomoempilharcartasdebaralhoparaconstruirumcastelodecartas.Acompreenoéfrutodaqualidadedainteraçãocriaa-objeto.Senoprocessoderealizarumaatividadeacriaaoselimitar
à
obteãodoêxito,masfordesafiada,desequilibradacomnovosproblemasoucomnovasmaneirasderesolveromesmoproblema,elatemachancederefletirsobreosresultadosdassuasões,detomarconsciência
 o
quefez
e
portanto,passardoníveldofazerparaonível
 o
compreender.Aqualidadedainterãoaprendiz-objeto
é
particularmentepertinenteaocasodousodediferentes
softw res
educacionais.Umdeterminado
softw re
nãopodeanalisadoindependentementedoseuuso.
 o
mesmomodoqueo
é
oobjetoquelevaàcompreensão,nãoéo
softw re
quepermiteaoalunoentenderououmdeterminadoconceito.Acompreensão
é
frutodecomoo
softw re
é
utilizadoedecomooalunoessendodesafiado
n
atividadedeusaraquele
softw re
.Nessesentido,oprofessortemumpapelftmdamentalcomoproponentedenovosdesafiosedeprovocador
 o
desequilíbrio.Entretanto,dependendodo
softw re
emuso,essaatividadeexigedoprofessorumamaioroumenoratuação.Alguns
softw res
apresentamcaracterísticasquefacilitamaatuaçãodoprofessor
n
interaçãoaluno-computador,permitindoaoprofessorfacilmenteentenderoqueoalunoestápensandooufazendo.Outrosooferecemessascaracterísticas
e
portanto,exigemumamaioratuão
 o
professorparaconseguirqueoalunopossapassardoníveldofazerparaocompreender.
Diferentesusosdocomputadornaeducação
Ocomputadorpodeserusado
n
educãoatrasde
softw re
dotipotutoriais,exercício-e-prática,jogos,simulação,multimídiaou
softw re
deaplicaçãomaisgeralcomoaslinguagensdeprogramação BASIC,Pascal,Logo ,os
softw res
nonnalmentedenominadosaplicativos,comoumalinguagemparacriaçãodebancodedadoscomoDBaseouumprocessadordetexto,eos
softw res
paraconstrãodemultimídia.
 
 
osé rmando
Valente
 
tutori is
enf tiz m
a
 present ção
d s
liçõesou
a
expli it ção
dainformão.Aãodoahmopodeserestringiravirarginasdeumlivroeletnicoourealizarexercioscujoresultadopodeseravaliadopeloprópriocomputador.Noentanto,essasatividadespodemfacilmenteserreduzidasaofazersemexigirqueoahmocompreendaoqueestáfazendo.Cabeaoprofessorinteragircomoalunoecriarcondõesparalevaroalunoaoníveldacompreensão,comoporexemplo,proporpro-blemasparaseremresolvidoseverificarseoproblemafoiresolvidocorretamente.Oprofessor,nessecaso,devecriarsituõesparaoalu-nomanipularasinfonnõesrecebidasdemodoqueelapossasertrans-fonnadaemconhecimentoeesseconhecimentopossaseraplicadocor-retamente
na
resoluçãodeproblemassignificativosparaoaluno.
 or
outrolado,aanálisedaatividadedeprogramarocomputadorusandoumalinguagemdeprogramaçãotempermitidoidentificardi-versasõesqueoalunorealizaequeodeextremaimportâncianaaquisiçãodenovosconhecimentosenacompreenodoqueoalunofaz Valente,1993 .Primeiro,ainteraçãocomocomputadoratrasdaprogramaçãorequeradescrição
de
umaidéiaemtermosdeumalinguagemformaleprecisa.Essadescrãopermiteaoalunorepre-sentareexplicitaroveldecompreenoquepossuisobreosdiferen-tesaspectosenvolvidos
na
resolução
do
problema.Segundo,ocompu-tadorexecutafielmenteadescriçãofornecida.
 sse
feed ck
fieleimediatoédesprovidodequalqueranimosidadeouafetividadequepossahaverentreoalunoeocomputador.Oresultadoobtidoéfrutosomen-
te
doquefoisolicitado
à
quina.Terceiro,oresultadoobtidoatravésdocomputadorpermiteaoalunorefletirsobreoquefoisolicitadoaocomputador.Finalmente,seoresultadoocorrespondeaoqueeraesperado,oalunotemquedepuraraidéiaoriginalatrasdaaquisiçãodeconceitosdeumadeterminadaárea oalunoosabeoconceitodeângulo
ou
álgebra ,algumaconverodalinguagemdeprogramaçãoousobrecomputação,ousobreestratégias oalunonãosabecomousarcnicasderesoluçãodeproblemasouosconceitosadquiridos .Aatividadededepuraçãoéfacilitadapelaexistência
do
programadocomputador.Esseprogramaéadescriçãodasidéias
do
alunoemtermosdeumalinguagemprecisaefonnal.Alémdisso,
existe
umacorrespondên-ciadiretaentrecadacomandoeocomportamento
do
computador.Essascarateristicasdisponíveisnoprocessodeprogramaçãofacilitamaanálise
of 9