Documents

STAM, Robert - Introdução In A literatura através do cinema - Realismo, mágica e a arte da adaptação

Description
1ltf~i$~4 ã-· ãããã 'ãããã 'III!!lIIIIlIIIIIIIIIiI!lIlIllI!llIi1llllillllll!ããIllããIIããããããããããI- ããããããããã'Ií '~,· ~.li.*II·.+l!!!!!! _----------_ããIIl Iã , ããã ãã_ ã. ã.ã. I I :.i~-- i .. -.---:---:--- ROBERT STAM A liTeRATURA ATRAVÉS DO CINEMA ReAlISMO, MAGIA c A ARTe DA ADAPTAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS REITOR Ronaldo Tadêu Pena VleE-REITORA Tradução MAmE-MINE GLAUCIA RENATE KREMER GONÇALVES Heloisa Maria Murgel Scarling DiRETOR EDITORA UFMG Wander Meio Miranda Silva
Categories
Published
of 14
334
Categories
Published
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Similar Documents
Share
Transcript
  ã-·ãããã 'ãããã 'III!!lIIIIlIIIIIIIIIiI!lIlIllI!llIi1llllillllll!ãIIlããIllããIIããããããããããI-ãããããããããã 'Ií '~,·ãã ~.li.*II·.+l!!!!!!ã_.ã..---------_-...---:---:-- :.i~-- i 1ltf~i$~4 II ROBERTSTAM AliTeRATURAATRAVÉSDOCINEMA ReAlISMO,MAGIAcA ARTeDAADAPTAÇÃO UNIVERSIDADEFEDERALDEMINASGERAIS REITOR RonaldoTadêuPena VleE-REITORA HeloisaMariaMurgelScarling EDITORAUFMG DiRETOR WanderMeioMiranda VJCE-DIRETOM SilvanaCóserCONSELHOEDITORIALWanderMeioMiranda (PRESIOENTE) CariosAntônioLeiteBrandãoJuarezRochaGuimarãesMárcioGomesSoaresMariadasGraçasSantaBárbaraMariaHelenaDamnscenoeSilvaMegalePauloSérgioLacerdaBelrãoSilvaMCóser Tradução MAmE-MINE KREMERGLAUCIARENATEGONÇALVES BeloHorizonte EditoraUFMG 2008  Figura7.7-Apresentaçàomusicalem Ba170CO (1988)dePaulLeduc,produzidopeloInstitutoCubanodelArteeIndustriasCinematográficos(ICAIC)/SociedadEstatalQuintoCentenario/ÓpaJoFilms,distribuídoporInternationalFilmCircuit;fotoreproduzidaporcortesiadoBritishFilmlnstituteNãoforampoupadosesforçosnosentidodelocalizarosdetentoresdedireitosautoraisparaque fosse obtidaapermissãoparausodomaterialprotegidoporlei.Aeditoradesculpa-seporquaisquererrosouomissõescometidasnalistagemacimaeagradeceriaanotificaçãodecorreçõesquedevamserincorporadasemfuturasreimpressõesouedições. 16 ,. INTRODUÇAO Aliteraturaatravésdocinema:realismo,magiaeaartedaadaptação apresentaahistóriadaliteraturaatravésdocinema.Olivro,quepoderiatersidointitulado Clássicosdaliteraturanocinema, ofereceumrelatohistoriadodemomentosimportantesnahistóriadoromancenãosóemtermosliterários,comotambémrefratadosatravésdo prisma daadaptação.Obviamenteseriaumatarefa quixotesca cobrirtodaahistóriadoromancedesdeCervantes,porissoabordoapenas momentos etendênciascruciais.Osromancesanalisadossão,emsuamaioria, romances-chave enquanto clássicos quegeraramumavastaestirpede descendentes literáriosefílmícos.Porexemplo,tanto DomQuixote quanto RobinsonCrusoé dãoinícioalinhagensopostasnoromance,eambosforamreescrítosefilmadosinúmerasvezes. DomQuixote éotexto-fonteparaatradiçãoparódica,intertextuale mágica deromancescomo TomJones e TristramShandy, queostentamseusprópriosartifíciosetécnicas.Porsuavez, RobinsonCrnsoé, deDefoe,éumtexto-fonteseminalparaatradiçãodoromancemiméticosupostamentebaseadona vidareal eescritodetalformaagerarumaforteimpressãoderealidadefactual. MadameBovmy, deFlauben,entretanto,contrapõe ambas astradiçõesrealistaereflexiva/cervantina.EssaobradeFlaubertfoiigualmenteinfluentetantoemtermostemáticos-monotoniacampestre,desejosexual,desilusão-quantodastécnicasempregadas-odiscursoindiretolivre,ousodopretéritoimperfeito,oempregodopastiche. Notasdosubterrâneo, semelhantemente,  desencadeouumasériederomancesqueempregamnarradoresproblemáticoseautodesrnistificadores,começandocom Anáusea, deSartre,O homeminvisível, deEllison, Lotita, deNabokov,e Ahoradaestrela, deLispector.Cadacapítulode Aliteraturaatravésdocinema retrataumatendêncialiterária-aparódiadeCervantes,orealismodeDefoe(eastentativasde contra-escrever talestilo),areflexividadedeFielding,operspectivismoflaubertiano,apolifoniadeDostoievsky,aexperimentação nouvellevague, o realismomágico deMárquez-antesdeexplorarsuasramificaçõescinemáticas.Aofinaldecadacapítulo,sugiroarelevânciadessesromancesparaavidaeculturacontemporâneas.Ocapítulosobre DomQufxote terminacomobservaçõessobreosaspectoscervantinosdopósmodernismo;aquelesobre RobinsonCrusoé, comcomentáriossobre Ndufragoe sobre Suroívot; um realitygameshow. Ocapítulosobre MadameBovary leva-nosaofilme ArosapúrpuradoCairo, deWoodyAllen.Ocapítulosobre NotasdosubtelTâneo revelaumparentescosubterrâneoentreosnarradoresatormentadosdeDostoievskyeos stand-upcomedians! dosdiasdehoje.Aodiscutiramidiacontemporâneaerefletirarespeitodarealidadeatualdosromances(edosfilmes),esperoteremmeupúblicoalvonãoapenasestudiososdeliteraturaecinema,COmOtambémestudantessaturadospelamídiamasnãonecessariamenteversadosnocânoneliterário.Atensãoentreamagiaeorealismo,areflexividadeeoilusionismo,temalimentadoaarte.Qualquerrepresentaçãoartísticapodesefazerpassarpor realista ouabertamenteadmitirsuacondiçãoderepresentação.Orealismoilusionistaapresentaseuspersonagenscomopessoasreais,suaseqüênciadepalavrascomofatosubstanciado.Textosreflexivosoumágicos,poroutrolado,chamamaatençãoparasuaprópriaartillcialidadecomoconstrutos teXtuais sejapelahiperbolizaçãomágicadeimprobabilídades,sejaatravésdoesvaziamentoreflexivo,rninimalistadorealismo.Nessesentido, DomQuixote orquestratantomagiaquantorealismoantecipando,assim,o realismomágico ,Defato,paraRenéGirard, todasasidéiasdoromanceocidentalestãopresentes,embrionariamente,em DomQuixote'.2 Comoretomamoscomfreqüênciaa DomQuixote comomatrizseminalparaareflexividademágica,opresentelivropoderiatersidochamado uma 18 meditaçãosobre Quixote', parafraseandoOrtegayGasset,oumelhor,umameditaçãotantosobreo quixotesco quantosobreo cervantino .Muitosdosromancescentraisàtradiçãoeuropéia-O vermelhoe o negro, deStendhal, Ilusõesperdidas, deBalzac, MadameBovaty, deFlaubert, Embuscadotempoperdido, deProust-empreendematrajetóriacervantinadodesencantamentoemqueasilusõespromovidaspelaleituraadolescentesãosistematicamentedesfeitaspelaexperiênciadomundo'real.Masestetipodequixotismoestátãodisponívelparaocinemaquantoparaaliteratura.AssimcomoaobraOs sofrimentosdojovemWlerther inspirouumaondadesuicídiosemtodaaEuropa,diversosfilmes-tambémjáinduziramacomportamentoimitativo.Naverdade,inúmerosfilmes,c?lmo,porexemplo, Sonhosdeumsedutor e Cãesdealuguel, exploramotemacervantinodepersonagens!espectadoresqueprocuramemularseusheróisdocinema. ALÉMDA FIDELIDADE Embora Aliteraturaatravésdocinema sejaorganizadodiacronicamente,seguindoacronologiadostextosliteráriosenãoaqueladostextoscinematográficos,certostemassincrônicossurgirãorelativamenteatodosostextosdiscutidos.Aindaqueestenãosejaolugarparaumateoriasistemática- algo quetenteifazeremmeuensaio Ateoriaepráticadaadaptação ,novolume Literatureandfilm -, possobrevementedelinearmeuentendimentodealgumasdascategoriascruciaisoperantesao longo dotexto,O argumento geralde Aliteraturaatravésdocinema entrelaçaumasériede fios: acríticadodiscursoda fidelidade ,anaturezamulticulturaldainterteÀwalidadeartística,anaturezaproblemáticadoilusionismo,ariquezadealternativas mágicas ereflexivasaorealismoconvencionaleaimportânciacrueialtantodaespecificidadedomeiodecomunicação-oftlmeenquantotal-quantodoselementOsmigratórios,deentrecruzamento,compartilhadospelocinemaeoutrastiposdemídia.Alinguagemtradicionaldacrítica à adaptaçãofílmicaderomances,comojáargumenteianteriormente,3muitasvezestem 19  sido extremamentediscriminatória,disseminandoaidéiadequeocinemavemprestandoumdesserviçoàliteratura.Termoscomo infidelidade , traição , deformação , violação , vulgarização , adulteração e profanação proliferameveiculamsuaprópriacargadeopróbrio.Apesardavariedadedeacusações,suamotrizparecesersempreamesma-olivroeramelhor.Anoçãode fidelidade contém,nãosepodenegar,umaparceladeverdade.Quandodizemosqueumaadaptaçãofoi infiel aooriginal,aprópríaviolênciadotermoexpressaagrandedecepçãoquesentimosquandoumaadaptaçãofílmicanãoconseguecaptaraquiloqueentendemosseranarrativa,temática,ecaracterísticasestéticasfundamentaisencontradasemsuafonteliterária.Anoçãodefídelidadeganhaforçapersuasivaapartirdenossoentendimentodeque:(a)algumasadaptações de/ato nãoconseguemcaptaroquemaisapreciamosnosromancesfonte;(b)algumasadaptações são realmentemelhoresdoqueoutras;(c)algumasadaptaçõesperdempelomenosalgumasdascaracterísticasmanifestasemsuasfontes.Masamediocridadedealgumasadaptaçõeseaparcialpersuasãoda fidelidade nãodeveriamlevar-nosaendossarafidelidadecomoumprincípiometodológico.Narealidade,podemosquestionaratémesmoseafidelidadeestritaé possível. Umaadaptação é automaticamente diferenteeoriginaldevidoàmudançadomeiodecomunicação.Apassagemdeummeiounicamenteverbalcomooromanceparaummeiomultifacetadocomoofilme,quepodejogarnãosomentecompalavras(escritasefaladas),masaindacommúsica,efeitossonoroseimagensfotográficasanimadas,explicaapoucaprobabilidadedeumaFidelidadeliteral,queeusugeririaqualificaratémesmodeindesejável. Aliteraturaatravésdocinema simplesmenteadmite,aoinvésdearticular,osváriosdesenvolvimentosteóricosqueforamabalandoaspremissasfundadorassobreasquaisadoutrinadafidelidadehistoricamentesebaseou.Osdesenvolvimentosestruturalistasepós-estruturalistaslançamdúvidassobreidéiasdepureza,essênciaeorigem,provocandoumimpactoindiretosobreadiscussãoacercadaadaptação.AteoriadaintertextualidadedeKristeva,comraízesno dialogismo deBakhtin,enfatizouainterminávelpermutaçãodetraçostextuais,enãoa fidelidade deumtextoposterioremrelaçãoaumanterior,oquefacilitou 20 _umaabordagemmenosdiscriminatória.Enquantoisso,oconceitobakhtinianoproto-pós-esc.rutura!ísradoautorcomoharmonizadordediscursospreexistentes,paralelamenteàdegradaçãofoucaultianadoautoremfavordeum anonimatodifusododiscurso ,abriuocaminhoparaumaabordagemàarte discursiva enão-originária.Aatitudebakhtinianadiantedoautorliterárioenquantosituadonum territóriointerindividual sugereumaatitudedereavaliaçãonoqueserefereà originalidade artística.Aexpressãoartística é sempreoqueBakhtinchamadeuma construçãohíbrida ,quemisturaapalavradeumapessoacomadeoutra.AspalavrasdeBakhtinarespeitodaliteraturacomouma construçãohíbrida aplicam-seaindamaisobviamenteaummeioqueenvolvea colaboração, comoofilme.Aoriginalidadetotal,conseqüentemente,nãoépossívelnemmesmodesejável.Esenaliteraturaa originalidade já nãoétãovalorizada,a ofensa dese trair umoriginal,porexemplo,atravésdeumaadaptação infiel ,éumpecadoaindamenor.Se fidelidade éumtropainadequado,quaisostraposseriammaisadequados?Ateoriadaadaptaçãodispõedeumricouniversodetermose(rapos-tradução,realização,leitura,crítica,dialogização,canibalização,transmutação,transfiguração,encarnação,transmogrifícação,transcodificação,desempenho,significação,reescrita, detoumement - quetrazemàluzumadiferentedimensãodeadaptação.Otropodaadaptaçãocomouma leiQ1ra doromance-fonte,inevitavelmenteparcial,pessoal,conjuntural,porexemplo,sugereque,damesmaformaquequalquerte},,'toiteráriopodegerarumainfmidadedeleituras,assimtambémqualquerromancepodegerarumasériedeadaptações.Dessaforma,umaadaptaçãonão é tantoaressuscitaçãodeumapalavraoriginal,masumavoltanumprocessodialógicoemandamento.Odialogismointertextual,portanto,auxilia-nosatranscenderasaporiasda fidelidade .GérardGenette,em Palímpsestos (1982),4 partindodo dialogismo deBaJrlltineda intertextualidade deKristeva,propõeotermo transtextualidade ,maisabrangente,parareferir-sea tudoaquiloquecolocaumtexto,manifestaousecretamente,emrelaçãocomoutrostextos, postulando,porfim,cincocategorias.Aquintadelas,a hipertextualidade ,pareceserparticularmenteprodutivanoquetangeàadaptação.Otermoserefere à relação 21
Search
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks
SAVE OUR EARTH

We need your sign to support Project to invent "SMART AND CONTROLLABLE REFLECTIVE BALLOONS" to cover the Sun and Save Our Earth.

More details...

Sign Now!

We are very appreciated for your Prompt Action!

x