Documents

_Apostila Jean ADM

Description
APOSTILA DE TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO Introdução ao estudo da Administração 1- Teorias da Administração O princípio básico da Administração é a condução racional das atividades de uma organização seja ela lucrativa (empresa) ou não lucrativa (igreja, clube). A Administração pode ser compreendida como: Prof. Jean Carlos & Prof. Marcos Aurélio  Ciência: enquanto ciência, a Administração é conjunto de postulados teóricos acerca da técnica de administrar as organizações.  Técnica: é conjunto
Categories
Published
of 143
18
Categories
Published
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Share
Transcript
  APOSTILA DE TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO   Introdução ao estudo da Administração1- Teorias da Administração O princípio básico da Administração é a condução racional das atividades de uma organizaçãoseja ela lucrativa (empresa) ou não lucrativa (igreja, clube).A Administração pode ser compreendida como:  Ciência : enquanto ciência, a Administração é conjunto de postulados teóricos acerca datécnica de administrar as organizações.  Técnica : é conjunto de atividades que integram o processo de administração dasorganizações. Podemos dizer, a grosso modo, que a Administração enquanto ciência é a teoria, atécnica é a prática; pela ciência são construídos os conceitos; pela técnica eles são concretizados,postos em prática. Como exemplo, podemos dizer que nesse momento estamos produzindoAdministração como ciência ao passo que o executivo em seu cotidiano à frente da empresa estarárealizando Administração como técnica.  Arte: enquanto arte a administração exige certas habilidades relacionadas com profissão,ofício ou área de atuação humana. O desempenho dos gerentes está profundamente ligado àscompetências que incluem diversos tipos de habilidades. É o que salienta Robert Katz, ao afirmar quepelo menos três tipos de habilidades são necessárias para que o administrador possa executareficazmente o processo administrativo:  Habilidade Técnica – diz respeito aos conhecimentos técnicos adquiridos pelo indivíduoem sua capacitação profissional. A título de exemplo podemos citar um contador tem habilidade técnicapara registros contábeis; um advogado, para postular em juízo, dar entrada numa ação judicial.  Habilidade Humana – trata-se da habilidade relacionada com a capacidade derelacionamento interpessoal, consistente na capacidade de trabalhar com pessoas, liderando-as ecompreendendo suas atitudes e motivações.  Habilidade Conceitual – é a aquela em que o líder estabelece estratégias organizacionaisque alcançam a organização inteira, e não apenas um departamento. É a capacidade de compreenderas complexidades da organização e do seu ambiente, bem como promover o ajustamento docomportamento das pessoas dentro dela. Para Katz, à medida que o gerente se eleva na estruturaorganizacional, a importância da habilidade técnica diminui, enquanto que a da habilidade conceitualeleva-se. Para um supervisor ou gerente de primeira linha, que está diretamente ligado ao trabalhooperacional, o conhecimento técnico é muito mais importante do que para um executivo da altaadministração. Este, por sua vez, necessita utilizar muito mais suas competências na formulação deobjetivos e adequação da empresa aos cenários desenhados para o futuro.Várias são as teorias acerca da Administração enquanto ciência:  Teoria Clássica  Teoria Científica  Teoria das Reações Humanas  Teoria Neoclássica  Teoria Comportamental  Teoria Geral da AdministraçãoEstudaremos cada uma delas.  APOSTILA DE TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO   1.1- Teoria Clássica Esta teoria tem por base a Administração enquanto ciência e enxerga a organização a partir doconjunto de órgãos que a constituem, desconhecendo qualquer outra estrutura que não seja aorganização formal. Mais à frente teremos oportunidade de diferenciarmos organização formal deinformal, por hora, todavia, convém salientar que a primeira é o conjunto de órgãos que integram aorganização e que podem ser visualizados pelo organograma, ao passo que a segunda se constituicomo sendo o conjunto de relações interpessoais não previstas no organograma, mas que estãopresentes e atuantes, como a significar as interações entre as diversas pessoas que fazem parte daestrutura formal.Esta teoria tem como principal representante Henry Fayol (França, 1916) e se caracterizatambém pela ausência de trabalhos científicos para dar base a suas experimentações, afirmações eprincípios. O homem nesta teoria é vista de um ponto de vistaeconômico ( homo economicus ).Segundo Fayol existem 14 princípios que regem aAdministração, os quais denominou de Princípios Gerais:  Divisão do Trabalho  Autoridade e responsabilidade  Disciplina  Unidade de comando  Unidade de direção  Subordinação dos interesses individuais aos gerais.  Remuneração de pessoal  Centralização  Cadeia escalar  Ordem  Eqüidade  Estabilidade do pessoal  Iniciativa  Espírito de equipePara ele, administrar é o ato de prever, organizar, comandar, coordenar e controlar. Constituindo cada um desses elementos as funções básicas do administrador. O tema será melhordesenvolvido no capítulo referente ao processo organizacional. 1.2- Teoria Científica “A preocupaçãocom a estruturada organizaçãocomo um todoconstitui, semdúvida, umasubstancialampliação doobjeto de estudoda TGA. Fayol,um engenheirofrancês,fundador daTeoria ClássicadaAdministração,partiu de umaabordagemsintética, globale universal daempresa,inaugurando  APOSTILA DE TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO   A ausência de fundamentação científica da teoria anterior é o que busca Taylor ao desenvolver ateoria científica, ou seja, propunha criar uma Ciência da Administração. Neste sentido, surge umamudança no objeto maior da Administração que sai das tarefas para dar maior ênfase à estrutura,segundo um aspecto científico.Com ela, buscava-se a eliminação dos desperdícios, da ociosidade dos operários e a reduçãodos custos de produção. Com atividades simples e repetitivas, padronização de condições de trabalho ede procedimentos garantia-se maior eficiência. A sua principal crítica consiste na superespecialização erobotização dos operários.Taylor observando o trabalho realizado pelos operários de sua época, constatou que os mesmosdespendiam quantidade excessiva de tempo em movimentos inúteis edesnecessários, o que também, obviamente conduzia a um cansaçonatural que poderia ser evitado. Buscando tornar o trabalho maisprodutivo e o trabalhador menos cansado (fatigado) ele criou um métodocientífico que ficou conhecido na história como Organização Racional doTrabalho. Esse método baseia-se em nove aspectos básicos. I- Análise do trabalho e do estudo dos tempos e movimentos Esse aspecto resulta da constatação, que aliás já data desde deAdam Smith, de que se cada operário fizer apenas uma etapa doprocesso, e especialmente aquela que ele faz melhor, estaremossuperando deficiências individuais por meio da especialização. Para tantoforam estudados todos os movimentos dos operários de modo a lhescriar um padrão de conduta no exercício das tarefas que reduzisse otempo gasto e, de forma inversa, aumentasse a produtividade. Essemétodo levaria às seguintes vantagens:  Eliminação do desperdício de esforço humano e dosmovimentos inúteis.  Racionalização da seleção e adaptação dos operários àtarefa.  Facilidade no treinamento dos operários e melhoria daeficiência e rendimento da produção pela especializaçãodas atividades.  Distribuição uniforme do trabalho para que não hajaperíodos de falta ou de excesso de trabalho.  Definição de métodos e estabelecimento de normas para aexecução do trabalho.  Estabelecer uma base uniforme para salários eqüitativos eprêmios de produção. II- Estudo da fadiga O estudo da fadiga resultou da observação da perda de tempo dos operário com movimentosque além de inúteis os deixavam, desnecessariamente, cansados. Daí a ênfase dada por essa teoria àtarefa. O referido estudo, segundo muito bem ressalta Chiavenato, tem tripla finalidade: a) Evitar movimentos inúteis na execução da tarefa, como já salientamos. “Henry Ford Homem dementalidadeorientada para omercado,imaginava queseu cliente médioera o fazendeiroque tinha umacaixa deferramentas esabia manejá-la.O manual do proprietário doFord T, lançadoem 1908, já emformato de perguntas erespostas,explicava em 64 páginas comousar ferramentassimples pararesolver os 140 prováveis problemas que ocarro poderia ter. À medida que seevidenciavamsuas vantagens, omodelo Ford   APOSTILA DE TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO   b) Execução econômica dos movimentos úteis do ponto de vista fisiológico. c) Seriação apropriada aos movimentos (princípios de economia de movimentos). III- Divisão do Trabalho e especialização do operário A partir do surgimento da ORT cada operário se ocupar apenas de uma específica etapa doprocesso produtivo, alienando-se do que acontece no restante. Aos poucos, começa a ganhar espaço aidéia de especialização. IV- Desenho de cargo O desenho de cargo é atividade de relacionar quais as tarefas aserem desempenhadas pelo seu ocupante. Mas o que é cargo?Consoante expresso no art. 3º da Lei nº 8.112/1990, cargo é oconjunto de atribuições e responsabilidades previstos naestrutura organizacional que são cometidas a um servidor. Doponto de vista da TGA, I. Chiavenato, no seu excelente  Administração Geral e Pública , o conceitua como sendo oconjunto de tarefas executadas de maneira cíclica e repetitiva,sendo que a tarefa, segundo a mesma voz abalizada, é todaatividade executada por uma pessoa no seu trabalho dentro daorganização. V- Incentivos salariais e prêmios por produção Taylor compreendia que o salário definido a partir do fatortempo (mês, quinzena, semana) não estimulava o aumento daprodução, o só seria alcançado com a criação de umaremuneração proporcional à produção do empregado. VI- Homus economicus Para a Teoria da Administração Científica o homem só éestimulado por fatores externos. São as chamadasrecompensas materiais, que se opõem às simbólicas. Enquantoestas são marcadas por estímulos que provocam mudanças denatureza subjetiva, como orgulho e realização profissional, asprimeiras são responsáveis pela elevação dos fatores relativosàs condições de trabalho, como aumentos salariais, estabilidade e segurança no emprego etc. ParaTaylor, ao contrário do que vai dizer Herzberg, como veremos adiante, somente estas recompensasmotivam. VII- Condições de Trabalho O aumento da produtividade passa por diversos fatores, entre eles a melhoria nas condiçõesde trabalho. Máquinas e equipamentos adequados à produção e que estejam de acordo com ascaracterísticas físicas dos empregados. VIII- Padronização Observação Inesquecível: Tipo de organização criada por Taylor “Para Taylor, aorganização e aAdministração devem serestudadas e tratadascientificamente e nãoempiricamente. Aimprovisação deve serceder lugar aoplanejamento e oempirismo à ciência: aCiência da Administração.Como pioneiro, o méritode reside em suacontribuição para encararsistematicamente oestudo da organização. Ofato de ter sido o primeiroa fazer uma análisecompleta do trabalho,incluindo tempos emovimentos, aestabelecer padrões deexecução, treinar osoperários, especializar opessoal, inclusive o dedireção, instalar uma salade planejamento, em
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks
SAVE OUR EARTH

We need your sign to support Project to invent "SMART AND CONTROLLABLE REFLECTIVE BALLOONS" to cover the Sun and Save Our Earth.

More details...

Sign Now!

We are very appreciated for your Prompt Action!

x