Documents

A Natureza Do Inferno

Description
A Natureza do Inferno
Categories
Published
of 15
21
Categories
Published
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Share
Transcript
  A natureza do inferno O inferno é uma realidade mesmo que você não creia! A Bíblia não se ocupa em discorrer sobre a anatomia... O inferno é uma realidade mesmo que você não creia! A Bíblia não se ocupa em discorrer sobre a anatomia do inferno como alguns autores contemporâneos se arriscam a fazer em nomede uma suposta divina revelaão mas se prop e a nos ensinar sobre sua realidade e suas mais relevantes características. O inferno não é um mito criado pelos escritores bíblicos é antes um lugar e estado de sofrimento ininterrupto e pleno sob o qual padecer# todos quantos não forem regenerados pelo sacrifício vic#rio de $risto. Antes de iniciarmos uma refle%ão ou debate mais profundo acerca deste momentoso tema se faz necess#rio introduzirmos algumas idéias de grande relevância. &rimeiro é necess#rio que os leitores da Bíblia compreendam que '# uma larga diferena entre o que a Bíblia diz e o que ela revela com o que diz. &or e%emplo a Bíblia dizque (lias orou sete vezes pela sétima seu servo viu uma pequena nuvem com isso (lias parou de orar e entendeu que suas peti es 'aviam sido atendidas. Ao contrario do que muitos dizem sobre o misticismo do n)mero sete (lias ensina*nos com sua e%periência que devemos orar com perseverana até recebermos as respostas que alme+amos de ,eus.(m outro te%to não muito distante desse o autor de - eis nos dir# que o arrogante general da /íria 0aamã foi purificado de sua lepra ap1s mergul'ar sete vezes no rio 2ordão. 3endo o te%to de - eis 4 por inteiro veremos que 0aamã re+eitou a principio as palavras de (lizeu mas dissuadido de sua posião orgul'osa obedeceu as palavras do profeta. (ste epis1dio interpretado 'ermeneuticamente diz*nos que '# milagres recebidos pela obediência ou se+a quandoabrimos mão de qualquer orgul'o e resolvemos obedecer 5s palavras de ,eus podemos ser restaurados. (ssa é a lião do te%to. (ssa passagem bíblica de modo nen'um ob+etiva revelar um suposto poder advindo do n)mero sete.   Assim também a Bíblia procede em outras passagens e em outras tem#ticas. A Bíblia c'ama 2esus de cordeiro mas não devemos esperar encontrar no céu o /alvador em forma de cabrito. Ao c'amar 2esus de cordeiro a Bíblia identifica*o com a natureza do seu sacrifício tal como os cordeiros que eram sacrificados no templo. (m outro te%to a Bíblia diz*nos que o povo de 6srael sairia em paz e seria guiado em paz e por onde passasse as #rvores dos bosques l'es bateria palmas. Obviamente essa afirmaão não é literal. O significado desse te%to é que a fidelidade de 6srael faria com que aonde ele c'egasse fosse reverenciado pelos demais povos e favorecido pela natureza. Dada essa palavra, voltemos ao tema deste capítulo.  A Bíblia em especial o 0ovo 7estamento fala largamente sobre a e%istência do inferno defendendo sua realidade e até definindo em termos gerais sua natureza. &ara iniciarmos uma refle%ão sobre o inferno precisamos dizer que as vers es bíblicas em língua portuguesa não c'amam de inferno apenas o lugar e estado para onde irão os condenados con+untamente com os dem8nios9 c'ama também de inferno a morada de todos os mortos e ainda denomina como inferno o estado de minimizaão de poder que os dem8nios sofreram quando abandonaram seu ministério angelical no céu. (ntretanto o te%to sagrado grego atribui outros termos aos que nossas vers es c'amam de inferno. :# três palavras diferentes com significados distintos discorreremos sobre cada uma delas e e%aminaremos v#rios te%tos no afã de encontrar os mel'ores sentidos para o tema em pauta./ei que até aqui a compreensão do leitor pode não ter ainda alcanado a lin'a de raciocínio proposta. &ara clarearmos propomos alguns e%emplos;(m <ateus 4. -- lemos; =(u porém vos digo que todo aquele que >sem motivo? se irar contra seu irmão estar# su+eito a +ulgamento9 e quem proferir um insulto a seu irmão estar# su+eito a +ulgamento do tribunal9 e quem l'e c'amar; 7olo estar# su+eito ao inferno de fogo.@ grifo meu.0esse te%to a palavra traduzida como inferno é Ceena e para o significado que comumente empregamos é a mais correta =Ceena@  ou =Ceena de fogo@ traduz*se como inferno isto é o lugar da punião futura por causa das características semel'antes que envolvem ambas as coisas. Doi uma palavra que 2esus usou diversas vezes em seus discursos para e%plicar com pertinência a natureza cruel e 'umil'ante do lugar para onde os ímpios serão sentenciados por toda a eternidade.:istoricamente falando Ceena nomeava srcinalmente o vale de :innon ao sul de 2erusalém. 0os tempos veterotest#mentarios quando o paganismo invadiu as pr#ticas de culto do povo israelita iniciou*se a pr#tica pagã de sacrifícios 'umanos. 0o lugar c'amado de =vale de :innon@ 'avia uma saliência usada como altar. ,iz*se que ali muitos pais seguravam seus fil'os pelos pés e perfurava*l'es o pescoo9 enquanto os demais participantes daqueles cultos tocavam seus tambores atr#s daqueles adoradores de <oloque ensurdecendo desse modo os pais.O barul'o produzido pelos tamboristas era tão alto que os pais eramimpedidos de ouvir os gritos e c'oros de seus fil'os. E sabido que com o passar do tempo o vale que talvez pertencesse a uma família de sobrenome :600O0 tornou*se o dep1sito e incinerador do li%o de 2erusalém. 3anavam*se ali cad#veres de animais para serem consumidos pelo fogo aos quais se acrescentava en%ofre para a+udar na queima.7ambém se lanava ali cad#veres de criminosos e%ecutados considerados imerecedores de um sepultamento decente num t)mulo memorial. O relato dos evangel'os revela que ap1s a morte de 2esus por crucificaão 2osé de Arimateia pediu a &ilatos permissão para remover e sepultar o seu corpo. 6sso ocorreu porque 2esus foi assassinado como um malfeitor aos ol'os das autoridades civis e religiosas da época. $aso 2osé de Arimateia não'ouvesse recebido permissão para remover e sepultar o corpo de 2esus as autoridades intencionavam +ogar seu corpo na Ceena istoé no aterro sanit#rio de 2erusalém.Fuando os cad#veres caiam no fogo eram consumidos por ele mas quando os cad#veres caiam sobre uma saliência da ravina funda sua carne em putrefaão ficava infestada de vermes que não morriam até terem consumido as partes carnais dei%ando somente os esqueletos. &ela determinaão do rei 2osias em seus dias nen'um animal ou criatura 'umana viva deveria se lanado na Ceena para serem queimados vivos ou atormentados.  Ceena é uma comparaão adequada para descrever o perverso e sua situaão futura. Ceena então não é em si mesma o inferno masé a mais clara met#fora para ele. A seguir veremos que não foi debalde que 2esus utilizou*se dessa palavra para falar do destino eterno dos impenitentes.,ada esta e%plicaão tratemos sobre a natureza do inferno. &reciso voltar a dizer que '# uma larga diferena entre o a Bíblia diz e o queela quer revelar com o que est# e%presso. /empre que o 0ovo 7estamento trata sobre o inferno ele se utiliza de termos como fogoc'oro ranger de dentes lugar onde o bic'o nunca morre e trevas espessas essa linguagem visa alcanar a compreensão 'umana para a realidade sofredora do inferno. Os termos mencionados não devem ser entendidos como literais mas sim como figurados por algumas quest es l1gicas e 1bvias. FOGO  A maior aão provocada pelo fogo é alterar a forma natural das coisas. Ao usar a figura do fogo para descrever o inferno 2esus d#*nos a entender que o 'omem que for condenado ser# destituído de todas as características das quais se orgul'a como; beleza sensualidade aparência dese+#vel ou pu+ana.2esus se utilizou da linguagem da Ceena como vimos estudando naintroduão deste capítulo para invocar a natureza sofredora do lugar para onde irão os que perecerem sem ,eus. A figura do Ceena retrata 'umil'aão uma vez que somente os desonrados eram +ogados l#. O inferno é sem d)vida um lugar e estado de 'umil'aão eterna. O inferno traa um claro contraste com a vida naterra.0o mundo os que criam suas pr1prias regras e não se submetem aos parâmetros divinos parecem ser os que mais se destacam com 'onra. O inferno é um lugar em que não '# nen'um espao para secriar nen'uma regra que se+a aparentemente interessante. E lugar de desonra solidão indignidade e reclusão perpétua.Outra imagem representada pela Ceena é a ideia de morte. <orte não é apenas a ausência de vida morte é a inaptidão para participar de qualquer obra )til. 0o inferno não '# vida ativa s1 e%istência agonizante. 6sso d#*nos a ideia de impotência. Os corpos lanados na Ceena e%alavam odor repugnante para os demais por isso
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks
SAVE OUR EARTH

We need your sign to support Project to invent "SMART AND CONTROLLABLE REFLECTIVE BALLOONS" to cover the Sun and Save Our Earth.

More details...

Sign Now!

We are very appreciated for your Prompt Action!

x